terça-feira, 1 de dezembro de 2009

O Leitor


Autor: Bernhard Schlink
Título original: Der Vorleser
Editora: Edições Asa
Páginas: 144
ISBN: 9789724120096
Tradução: Fátima Freire de Andrade 


Sinopse: Michael Berg, um adolescente nos anos 60, é iniciado no amor por Hanna Schmitz, uma mulher madura, bela, sensual e autoritária. Ele tem 15 anos, ela 36. Os seus encontros decorrem como um ritual: primeiro banham-se, depois ele lê, ela escuta, e finalmente fazem amor. Este período de felicidade incerta tem um fim abrupto quando Hanna desaparece de repente da vida de Michael.
Michael só a encontrará muitos anos mais tarde, envolvida num processo de acusação a ex-guardas dos campos de concentração nazis. Inicia-se então uma reflexão metódica e dolorosa sobre a legitimidade de uma geração, a braços com a vergonha, julgar a geração anterior, responsável por vários crimes.

Perturbadora meditação sobre os destinos da Alemanha, O Leitor, é desde O Perfume, o romance alemão mais aplaudido nacional e internacionalmente. Já traduzido em 39 línguas, a obra está a ser adaptada ao cinema. Para além disso, este romance foi galardoado em 1997 com os prémios Grinzane Cavour, Hans Fallada e Laure Bataillon. Em 1999 venceu o Prémio de Literatura do Die Welt.

Opinião: Pertenço a uma geração que só conheceu os maiores flagelos do século XX através dos livros. Primeiro na escola e depois na faculdade, a folhear as páginas onde se escreveu e se continua a escrever a nossa história. É por essa razão que me identifiquei com "O Leitor" e com a perspectiva de «embotamento» que ali é veiculada, pois também o meu olhar, por vezes, quando se trata dos «horrores» do passado, também é mais distante e vazio do que humano e chocado

Na minha opinião, a questão do «embotamento» é central em toda a obra, embora também concorde que a história gira em torno da «vergonha» e da «culpa». Este tipo de comportamento que leva o individuo a não ser capaz de expressar as suas emoções ou sentimentos (ou, no limite, não ser capaz de se emocionar ou sentir) está presente tanto na nas sequelas que relação entre Michael e Hanna deixou no primeiro, mas também na própria sociedade alemã, especialmente entre as gerações que tiveram muitas dificuldades em lidar com o passado recente e com o próprio Holocausto. É esta dualidade que confere um carácter exemplar a esta obra que, em poucas páginas e com uma simplicidade angustiante, disserta acerca da própria natureza humana. 

A tradução do título para português não reflecte a amplitude do termo original «Der Vorleser", que significa "aquele que lê alto para outro". Esta outra dimensão do livro também é extremamente interessante. A importância que tem nas nossas vidas a escrita e a leitura ultrapassa-nos e exercemos diariamente esses actos inconscientemente. É portanto também muito sugestivo o facto de sermos confrontados com o vazio que o analfabetismo provoca naqueles que não desenvolveram essas capacidades e que só se podem socorrer da palavra alheia enquanto elo de ligação a esse mundo intelectualizado.
Classificação: Bom (7/10)

6 comentários:

Jojo disse...

Não sabia que a tradução "verdadeira" do título do livro era: aquele lê alto para o outro. Faz muito mais sentido tendo em conta a estória. Era uma pista para saber qual era o segredo de Hannah.
Aconselho-te a ver o filme... senão o vistes.

Bjinhos JM

Jojo disse...

viste*:P

JM disse...

;) às vezes acontece!! Não vi ainda, mas fiquei com vontade, não só pela história mas também pelos actores, que também valem bem a pena.
De qualquer modo, prefiro sempre ler primeiro o livro =)

M!riam disse...

Oi, Joana!

Amei esse livro. Minha nota para ele é 10. Ele nos trás um personagem incapaz de demostrar sentimentos e ao mesmo tempo desperta em nós vários sentimentos...

eu amei!

bjs

JM disse...

Eu também gostei muito =) Mesmo assim acho que não estava no meus melhores dias para o ler. Mas dentro do género de livros que se inspiram no Holocausto achei muito interessante!

Obrigada Miriam***

Jojo disse...

Olá de novo!
Eu também prefiro ler o livro primeiro. No filme devido ao limit de tmpo, ficam sempre algumas coisas de fora e eu gosto dos pormenores. Na minha opinião, enriquecem a estória.
Mas quando tiveres um tempinho, vê o filme. Eu gostei imenso. Têm dois dos actores que mais gosto: a Kate Winslet e o Ralph Fiennes.

Bjinhos*