segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Serpente


Autor: Clive Cussler & Paul Kemprecos
Título original: Serpent
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 419
ISBN: 978-989-637-042-8
Tradução: Teresa Martins de Carvalho


Sinopse: Uma corporação poderosa ameaça a estabilidade política mundial. A viagem secreta de Colombo e o seu túmulo escondem a chave para defrontar uma ameaça que pode mudar o Mundo.Há mais de 50 anos que jazem no fundo do mar gelado do Atlântico Norte os destroços do paquete de luxo Andrea Doria. Nas suas entranhas repousa uma relíquia pré-colombiana que pode mudar o destino do Mundo.Para Kurt Austin, director de uma equipa de exploração marítima, o perigo começa quando salva uma bela arqueóloga marinha na costa de Marrocos. Após socorrer Nina Kirov, ambos vêm-se envolvidos numa missão para desmascarar uma poderosa corporação cujo plano levará a uma vaga de destruição e morte, e até à formação de um novo país. Kurt e a bela Nina Kirov desvendaram segredos muito mais valiosos do que as suas vidas. E há tesouros perdidos que nunca deviam ser encontrados.

Opinião: Este foi o segundo livro de Clive Cussler que li (o primeiro foi Gelo Ardente, cuja leitura se recomenda vivamente).  
Serpente faz parte da série Ficheiros Numa - quem ler saberá o que isto significa. 
Considerei a leitura desta obra de acção e de ficção bastante proveitosa. O leitor, logo nas primeiras páginas, fica embrenhado na história de uma forma que só depois de fechar o livro é que se apercebe. Quer saber mais e mais; quer saber o porquê de certas acções de algumas personagens, quer descobrir o fim da história - ou que ela nunca mais acabe -  de forma a que a leitura do livro é muito agradável (quando damos por nós, já o livro acabou).

Transportando o leitor numa viagem que vai desde Marrocos até às selvas da América Central, indo, inclusive, ao fundo do Oceano Atlântico, Clive consegue ficcionar a própria História de uma forma bastante «saudável». Todas as personagens têm uma história própria, e, se ao início não parece fazer sentido a sua junção, no final, a sua interacção é muito interessante. Não me posso esquecer de aqui referir os diálogos entre a personagem principal, Kurt Austin, e o seu fiel companheiro e amigo, Joe Zavala, que, em certos momentos, fazem o leitor soltar uma boa gargalhada.
Em suma, considero que é uma boa leitura para férias ou então para quem procura a pura distracção. Quem gosta de acção e aventura, de certo que não ficará desapontado.
Classificação: Muito Bom (8/10)

3 comentários:

Canochinha disse...

Toda a gente diz que Clive Cussler é altamente viciante... Tenho aqui "Serpente" e "Mutação Polar" por ler, tem-me faltado é disponibilidade.

RB disse...

Realmente é bastante viciante, mas cuidado para não leres todas as obras de seguida, senão ficas com a ligeira sensação de que estás a ler mais do mesmo!!Eu também já tenho a "Mutação Polar", mas infelizmente de momento não tenho tempo. Acho que não vais apanhar uma desilusão.

N. Martins disse...

Obrigada pela sugestão! Ainda não acabei de ler o Mutação Polar, mas estou a gostar muito, pelo que tenciono ler mais livros dele.
Fico sempre de pé atrás com estas sagas, mas parece-me que no caso do Clive Cussler a coisa funciona. :)

Bjs