sexta-feira, 20 de novembro de 2009

«O Código da Vinci» é o pior livro da década, diz The Times

Com o aproximar do final do ano é natural fazerem-se balanços, uns mais arrojados do que outros. O jornal The Times lançou-se na tarefa ingrata de reunir aqueles que podem ser considerados os 100 melhores livros da década. Mas, claro está, algo só pode ser muito bom se houver base de comparação e nestas coisas das listas há sempre tendência para dar a conhecer o reverso da medalha. O jornal não foi reuniu os 100 piores livros da década, o que, cá para nós, ia dar uma trabalheira monumental. Escolheu só 5, que podem, ou não, servir de base de análise para catástrofes literárias afim.

É neste contexto que «O Código Da Vinci» surge no 1º lugar da lista dos piores livros da última década. Já aqui disse que Dan Brown me entusiasmou muito mais no passado, mas depois de ter lido três dos seus livros não fico com a sensação de que privei intelectualmente com um autor que consegue a proeza de escrever o pior livro que li na vida, ou, como quem diz, nos últimos dez anos. 
A justificação do The Times é pobrezinha, condenando um dos livros mais vendidos nos últimos tempos em 4 linhas muito pequeninas. Traduzindo: o texto não presta e a introdução parece o início de uma história de um tablóide e não de um livro. Não é suficiente, digo eu, para que seja o pior dos piores livros. 

O segundo pior livro é «O Segredo», que, perdoem-me a falta de delicadeza, nem livro é, é um amontoado de paginas que dá (ou tenta dar) forma aquilo a que nos últimos tempos se tem dado a designação de «livro de auto-ajuda». 
Esta lista dos 5 piores livros dos últimos dez anos não me parece nada feliz, incluindo ainda, num honroso 3º lugar, o livro «Vernon God Little», que ganhou o Man Booker 2003, em virtude do humor negro com que relata a vida de um adolescente sarcástico, com uma mãe com problemas emocionais e uma melhor amiga que estrutura a sua vida em torno da comida. Não é suficiente para o The Times, que discorda com a atribuição do prémio.

É caso para perguntar: quem é que tem razão? O The Times ou os leitores que fazem de livros como «O Código de Da Vinci» um sério caso de record de vendas?

4 comentários:

Lia disse...

Os leitoros, claro! Eu vou lá à redacção do The Times e armo a barraca!!! ;p
Gostei muito deste livro e até comprei os 'descodificadores' para ficar mais dentro do assunto, e tal.. Os outros livros dele, já não gostei tanta... Acho que o Código vingou porque foi, para mim, uma novidade do género.
Beijos!

JM disse...

Vamos as duas porque juntas fazemos mais barulho! Agora a sério.. não concordei nada, até porque acho que o livro é comum às duas listas. Há tantos livro que não prestam, mas os do Dan Brown não são ASSIM tão maus!
BJ

Jojo disse...

Concordo com duas! Podemos ir as três! Existem livros bem piores!

Os livros de Dan Brown podem não ser obras-primas mas entretêm o suficiente. Além disso, aprendo sempre imenso com os livros dele.
Confesso que o Código não é o meu favorito dele. Gosto mais do Anjos & Demónios.

Bjinhos

JM disse...

E ia ser tão giro se fossemos mesmo! =)

Já aqui por mais do que uma vez me referi ao facto de estar cansada da fórmula «Dan Brown», mas os livros já me proporcionaram bons momentos, razão pela qual nem sequer compreendo o disparate de colocarem um deles no topo da lista dos piores livros dos últimos dez anos...
Não faz qualquer sentido. Esta é a razão pela qual considero que as opiniões mais válidas são as nossas, que apreciamos sem preconceitos o que lemos.